Rio de janeiro
Agenda Inovação Dezembro -   Janeiro    -     Fevereiro   Avançar Voltar 2018 -   2019 Avançar
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
SENAI

Notícias

Tecnologias da informação e comunicação devem movimentar R$ 600 bilhões até 2021

O robô virtual que conversa, dá sugestões e resolve o problema do cliente. Uma plataforma de serviços que conecta profissionais em diversas partes do mundo para que fechem, juntos, um projeto de uma aeronave. Equipamentos que preveem as condições climáticas e indicam se o produtor rural deve irrigar ou adubar a terra e aplicar agroquímicos. Simuladores agrícolas desenvolvido com tecnologia aeroespacial. Sistema automatizado de iluminação pública, semáforos inteligentes, plataformas que gerenciam as ações de segurança pública.

 

As tecnologias da informação e da comunicação (TIC) estão transformando todos os setores da sociedade e já fazem parte de nosso dia a dia. Não à toa, as soluções criadas nesse setor devem movimentar R$ 600 bilhões no Brasil até 2021, segundo a Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação).

 

“O setor emprega 1,6 milhões de brasileiros, com uma média salarial duas vezes maior do que a média do país. Viabiliza a implantação de estratégias de transformação digital, que por sua vez impactam organizações públicas e privadas com o aumento de sua produtividade e eficiência, resultando em melhores níveis de serviços e em maior competitividade das organizações e do país como um todo”, avalia André Echeverria, diretor de inovação da Brasscom.

 

Conheça o maior evento de TIC do Vale do Paraíba

Echeverria é presença confirmada na RM Vale TI - Feira e Congresso de Tecnologia e Inovação, que chega à quinta edição consolidada como grande evento de interesse nacional. O evento ocorre de 23 a 25 de outubro e contempla quatro áreas que recebem intensamente soluções em TIC: cidades inteligentes, indústria 4.0, agronegócio e varejo.

 

“As TICs são essenciais em todos os ramos de atividades. E a RM Vale TI é um instrumento para estimular a proximidade entre os usuários e os produtores de tecnologia. Nós promovemos o encontro das duas partes”, resume Marco Antonio Raupp, diretor-geral do Parque Tecnológico São José dos Campos.

 

A RM VALE TI é promovida pelo Arranjo Produtivo Local (APL) TIC Vale, do Parque Tecnológico e apresenta crescimento expressivo de audiência e de expositores ao longo dos anos. De 2013 a 2017, seu público saltou de 230 para 4.000 visitantes e de 25 expositores para mais de 40 empresas que escolheram a feira para expor seus produtos e serviços.

 

Esses números se traduzem também no aumento de volume de negócios: em 2016, foram fechados R$ 2 milhões em transações comerciais realizadas a partir do evento; em 2017, os expositores reportaram uma expectativa de negócios de quase R$ 10 milhões. Em avaliação realizada com as empresas, 95% dos expositores disseram que identificaram novos parceiros na feira.

 

“A RM VALE TI é uma grande oportunidade para empresários e administradores públicos conhecerem as tecnologias disponíveis para suas organizações. Também é o momento de fortalecer a cadeia de empresas que desenvolvem TIC, favorecendo negócios em um ambiente totalmente pensado para isso”, diz Marcelo Nunes, coordenador do Cluster TIC Vale.

 

Pesquisa, desenvolvimento e inovação

Desde 2014, o evento também apresenta o Congresso de Tecnologia e Inovação, área dedicada à transmissão de informações sobre novos processos, tecnologias de ponta e grandes cases, para mostrar, do ponto de vista do usuário, como a inovação pode contribuir para aumentar a eficácia da gestão pública e privada.

 

“A RM VALE TI tem o papel de fazer com que os gestores públicos e os empresários encontrem as soluções de que precisam, também por meio dos painéis”, diz Nunes.

 

A representatividade do congresso cresceu ao longo dos anos: em 2014 foram 15 palestrantes de três áreas. Em 2017, foram 60 palestrantes que abordaram os temas mais atuais nas quatro áreas do evento, para mais de 2.000 espectadores.

 

Em 2018, o destaque está nos grandes cases que serão apresentados. Entre os temas, destacam-se: como a inteligência artificial pode potencializar os recursos das cidades e torná-las mais sustentáveis, impactos das tecnologias de TIC no agronegócio, novos modelos de vendas pautados em TIC e internet das coisas, novas soluções para varejo e como máquinas conectadas aumentam a produtividade na indústria, entre vários outros.

 

Profissionais de instituições como Brasscom, Embrapa, Magazine Luiza, Bradesco, General Motors Mercosul, entre muitos outros, contam suas trajetórias de sucesso do ponto de vista do usuário.

 

A inscrição para a 5ª RM VALE TI é gratuita. Inscreva-se aqui.

 

Painel especial

No dia 23 de outubro, o jornalista Alexandre Garcia traz seus mais de 50 anos de carreira em um painel especial. Garcia avalia a situação atual do Brasil para traçar novas possibilidade para o país.

 

Garcia atua há 30 anos como jornalista e comentarista político da rede Globo e é autor do livro “Nos Bastidores da Notícia” (ed. Globo). Para ele, o Brasil teve muitas oportunidades nos últimos 30 anos, que não foram aproveitadas, por falta de planejamento. “Como se estivéssemos com uma tornozeleira a nos prender no emaranhado de leis, burocracia e tributos”, diz.

 

O painel vai mostrar como ética, inovação, tecnologia e produtividade podem tirar o Brasil de um círculo vicioso de oportunidades perdidas, de seus problemas na educação e do “futuro que não chega”.

 

Rodada de Negócios de Tecnologia

Um dos objetivos da RM VALE TI é estimular o mercado e conectar usuários e desenvolvedores de TIC.

 

A 5ª RM VALE TI disponibiliza para a rodada de negócios uma plataforma online exclusiva, usada com sucesso em grandes eventos estrangeiros, para conectar compradores e fornecedores que possam atender a suas demandas.

 

Os organizadores da 5ª RM VALE TI convidaram os responsáveis pela área de compras de grandes empresas.

 

Na prática, isso significa acesso rápido e certeiro a profissionais da grande indústria que têm poder de decisão na escolha de seus fornecedores. A plataforma auxilia organizadores, compradores e fornecedores a otimizar tempo e garantir que a correspondência de negócios seja feita de maneira fácil, adequada e assertiva.

 

Mercado: Empresas de TIC que desenvolvem tecnologias para cidades inteligentes acessam um mercado altamente promissor. Dados da consultoria IDC apontam que os investimentos globais cidades inteligentes devem chegar a US$ 80 bilhões em 2018. A empresa prevê que os investimentos cresçam intensamente entre 2016 e 2021, chegando a US$ 135 bilhões em todo o mundo em 2021.

 

Novidades: As áreas com maior demanda, em escala global, serão transporte inteligente, segurança pública baseada em dados e energia e infraestrutura resilientes. Tráfego inteligente e trânsito e vigilância visual fixa são os que geram maior demanda no mundo. Na RM VALE TI, você vai conhecer as melhores soluções que se encaixam na realidade das cidades brasileiras e também sobre o conceito de turismo inteligente. Saiba mais.

 

Agronegócio – setor estratégico no Brasil

Mercado: O setor de agropecuária é estratégico para a economia do Brasil. Atualmente, contribui com 23% de toda a produção brasileira. Em 2017, foi responsável por puxar o PIB nacional para cima (enquanto indústria e serviços tiveram PIB negativos). Para 2018, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada prevê aumento de 3,4% do PIB do setor.

 

Novidades: A grande tendência para o agronegócio é a integração de tecnologias para favorecer a gestão e o aumento da produtividade. A RM Vale TI traz o case da Fazenda 5.0 e apresenta as soluções mais inovadoras para estimular e otimizar os negócios no campo. Saiba mais

 

Mercado: O setor varejista é muito importante para a economia nacional: impacta em 47% do PIB brasileiro e é responsável por 17 milhões de empregos, o que representa 16% da força de trabalho do país, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com levantamentos da Google, as vendas online no Brasil devem dobrar até 2021.

 

Novidades: Inteligência artificial para atendimento de bancos e as grandes redes de varejo que inovam com o uso de big data, realidade aumentada e operações logísticas digitais. A feira traz conceitos como o do modelo de cidade inteligente de Xerém (RJ) ProVa Lab, laboratório de varejo criado por associações em São Paulo, do Bradesco Inteligência Artificial e uma sala da realidade aumentada do Sebrae. Saiba mais

 

Indústria 4.0 - novas formas de produção

Mercado: Menos de 2% das organizações do país estão inseridas no conceito de indústria 4.0, segundo a ABDI. Estimativas apontam que o setor tem potencial para movimentar US$ 15 trilhões em receitas nos próximos 15 anos. Especialistas acreditam que em 10 anos 15% das empresas já terão tecnologias desse conceito implementadas.

 

Novidades: Expansão do uso da internet das coisas, inteligência artificial, sensores, nanotecnologia, armazenamento em nuvem e análise de dados. A indústria em todo o mundo tem usado e explorado cada vez mais o potencial da tecnologia de ampliar a produtividade, desenvolver novos modelos de negócio e também de amparar a tomada de decisão das empresas. Saiba mais

 

Mercado de TIC no Vale do Paraíba

O Brasil está entre os dez maiores países produtores de tecnologia da informação e comunicação. Dos profissionais brasileiros, 77% se concentram nas regiões sul e sudeste e quase metade deles está no estado de São Paulo.

 

O Vale do Paraíba paulista é referência no desenvolvimento de tecnologia e inovação, com grandes instituições de pesquisa e multinacionais de peso. São José dos Campos, a maior cidade da região, é considerada a segunda cidade mais inovadora do país, de acordo com o ranking mais recente da Endeavor. A lista leva em conta aspectos com investimentos na cidade, infraestrutura tecnológica e proporção de mestres e doutores em ciência e tecnologia.

 

O mesmo levantamento mostra que São José tem a maior taxa brasileira (14%) de trabalhadores na área de ciência e tecnologia.

 

 

 

(Fonte: G1- 03/10/2018)

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE