Rio de janeiro
Agenda Inovação Maio -   Junho    -     Julho   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
SENAI

Notícias

Parceria entre Fiep e PUC pode impulsionar inovação no Paraná

A Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR) assinaram, no dia 23/04, em Curitiba, um acordo de cooperação científica e tecnológica. A parceria prevê transferência de tecnologia entre universidade e empresa, a cooperação para a inovação nas indústrias paranaenses e o desenvolvimento competitivo dos setores portadores de futuro. O documento foi assinado pelo presidente da Fiep, Rodrigo da Rocha Loures, e o vice-reitor da PUC, João Oleynik.

 

"Estabelecer uma conexão entre o que é pesquisado e o que o mercado demanda é o grande desafio. A questão é estabelecermos uma cooperação estratégica para aproveitar a capacidade de inovar da universidade e o empreendedorismo das empresas", afirmou Rocha Loures. "Curitiba possui um ambiente empresarial, acadêmico e político propício à inovação. O que falta é alinhar os interesses comuns em prol da competitividade e inovação nas indústrias."

O pró-reitor de Graduação, Pesquisa e Pós-Graduação da PUC, Robert Carlisle Burnett, apresentou a recém-criada Agência PUC de Ciência, Tecnologia e Inovação, que pretende ser um elo na aproximação entre o meio acadêmico e as indústrias. "Temos interesses convergentes com a Fiep para intensificar a competitividade das indústrias no Paraná. Além disso, nossas áreas de atuação de pesquisa coincidem com os setores portadores de futuro para o estado, estudo desenvolvido pela Fiep", afirmou.

 

O Paraná é o quarto estado brasileiro em número de empresas inovadoras e está acima da média nacional no percentual de empresas que inovam. Quarenta por cento das empresas instaladas no Estado realizam inovação, ao passo que em todo o Brasil este percentual é de 33%. Apesar dos bons resultados, existe no Estado um baixo grau de interação das indústrias com as universidades e centros de pesquisa. Apenas 4% das empresas paranaenses atribuem importância alta à cooperação entre o meio industrial e a academia.

Os dados são da Pesquisa de Inovação Tecnológica (Pintec) e foram apresentados no dia 23/04 pelo diretor da Unindus - Universidade Corporativa do Sistema Fiep, Henrique Santos, na palestra "Conexão Academia-Indústria: cooperar para inovar e competir", durante a 1ª Feira de Inovação Tecnológica de Curitiba.

"Apesar de produzimos 1,9% dos artigos acadêmicos do mundo e formarmos 10 mil doutores todos os anos, o Brasil investe somente 1% do PIB em pesquisa, desenvolvimento e inovação. É necessário ampliar esses números, investindo em parcerias com universidades e centros de pesquisa e fornecendo incentivos fiscais para PD&I, incluindo a Lei da Inovação", disse Santos. Segundo ele, o principal desafio é implementar uma política industrial que tenha a inovação como base do desenvolvimento da competitividade.

 

 

Mais investimentos para inovação



Na avaliação de Santos, é necessário dobrar os investimentos em PD&I para 2% do PIB e criar novas linhas de financiamento à inovação para as empresas, com menos burocracia e menores custos, além de ampliar substancialmente o capital e a capacidade de fomento da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

"A indústria precisa inovar para poder sobreviver no mercado competitivo. A inovação não é mais um modismo, já se tornou uma necessidade. O Brasil precisa incorporar novas tecnologias, para poder ingressar em setores onde hoje ainda não atua, bem como aumentar a aproximação entre a indústria e o setor acadêmico. Hoje, somente 15% dos 80 mil pesquisadores doutores atuam nas empresas", disse o presidente do Sistema Fiep, Rodrigo da Rocha Loures.


Dentre as ações prioritárias para garantir a integração estão a articulação de ações de curto, médio e longo prazo entre o Sistema Fiep e as universidades; o fomento de trabalhos em redes colaborativas; o estabelecimento de um canal permanente entre as Agências e Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) e o Sistema Fiep; o fortalecimento das incubadoras de base tecnológica e o apoio à elaboração de projetos de inovação das indústrias para apresentação no edital do Pappe Subvenção, que será lançado em 15 de maio e destinará R$ 10 milhões para financiamento de pesquisas em inovação e desenvolvimento tecnológico de micro e pequenas empresas paranaenses.

"Estabelecer uma conexão entre o que se pesquisa e o que o mercado demanda é o grande desafio. A questão é estabelecermos uma cooperação estratégica para aproveitar a capacidade de inovar da universidade e o empreendedorismo das empresas", afirmou Rocha Loures.

 

 

(Fonte: Portal CNI e Sistema Fiep - 24/04/2008)

 

 

 

Mais notícias de apoio técnico à inovação

 

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE