Rio de janeiro
Agenda Inovação Julho -   Agosto    -     Setembro   Avançar Voltar 2018 -   2019 Avançar
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
RETS

Notícias - RETS

Transgênicos representam 1/3 do crescimento do PIB

Uma análise produzida pela empresa de consultoria Seragro para a Câmara Uruguaia de Sementes, mostrou que as culturas geneticamente modificadas (GM) são responsáveis por um terço do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país nos últimos 10 anos. O método utilizado foi dividido em duas etapas de avaliação, a primeira analisou o cenário real, com as culturas transgênicas e a segunda fez projeções de como estaria a situação se os GM não tivessem sido incorporados.

 

Considerando os efeitos diretos e indiretos, a consultoria apontou que entre 2004 e 2015 o cultivo de transgênicos fez o PIB do Uruguai crescer 1,7% por ano. O levantamento estimou que o maior impacto positivo ocorreu na produção de milho GM. Enquanto a soja permite um avanço na produção sem exigir muita área, o milho pode ser plantado duas vezes no ano, com isso os agricultores tiveram mais flexibilidade de semeadura durante as safras e conseguiram uma cultura que é muito mais resistente a pragas, com menor custo.

 

De acordo com a análise, estima-se que a produção de transgênicos levou à criação até aproximadamente 40.000 novos empregos, representando um ganho de 1,5% no emprego total da economia uruguaia. No entanto, os pesquisadores alertam para um atraso do país em relação aos vizinhos, segundo eles, as mais recentes atualizações do milho e da soja aconteceram apenas em 2011 e 2012, respectivamente.

 

"Depois dessa etapa, entramos em um período de quase total ausência de aprovações comerciais, que continua até hoje, enquanto os países da região continuaram a incorporar mais variedades com eventos acumulados, deixando o Uruguai para trás. nos recursos biotecnológicos disponíveis. Isso pode limitar severamente o desempenho do setor nos próximos anos, devido a um" maior atraso relativo na produtividade agrícola ", concluiu o relatório.

 

 

 

(Fonte: Agrolink – 18/06/2018)

Destaques

Livro Branco da Inovação Tecnológica

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE