Rio de janeiro
Agenda Inovação Novembro -   Dezembro    -     Janeiro Voltar 2017 -   2018 Avançar
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
RETS

Notícias - RETS

Variedade de algodão permite poupar 30% em herbicidas

Especialistas do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA) da Argentina desenvolveram o primeiro cultivar de algodão da América Latina obtido mediante indução de mutações. A pesquisa teve a participação de pesquisadores da unidade de Sáenz Peña (província de Chaco) do INTA e do Instituto de Genética de Castelar, província de Buenos Aires. As variedades foram apresentadas no primeiro Congresso Internacional do Algodão, realizado no Chaco.

 

O especialista do INTA Mauricio Tcach afirmou que esse é "o primeiro material desenvolvido na América Latina com possibilidades de uso comercial cuja implementação permite poupar de 30% no uso de herbicidas, o que se traduz numa redução forte nos custos".

 

Ele ainda explicou que o "material vegetal provém de linhas genéticas do algodão Gossipyum hirsutum L, a partir das populações M2 obtidas mediante tratamento de semente de azida de sódio". Tcach acrescentou que "as linhas foram tratadas com o agente mutagênico, correspondem ao germoplasma desenvolvido pelo programa de melhoramento do algodão do INTA e se denominarão SP 4172 e SP 45826.

 

Para o especialista, se "trata de uma alternativa importante já existente em outros cultivos como girassol, arroz e milho utilizados como ferramentas para limpeza de campos".

 

A Argentina conta com aproximadamente 1% da produção mundial da fibra de algodão e possui um forte crescimento de superfície para a temporada seguinte. No norte da Argentina, é um dos setores com maior escala e sua produção se concentra na província de Chaco.

 

 

 

(Fonte: Agrolink – 31/10/2017)

Destaques

Livro Branco da Inovação Tecnológica

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE