Rio de janeiro
Agenda Inovação Abril -   Maio    -     Junho   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
RETS

Notícias - RETS

Indústrias de eletroeletrônicos discutem entraves e soluções na federação do Paraná

A Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) realizou nesta terça-feira (14/06), em Curitiba, o Fórum Setorial das Indústrias Eletroeletrônica e de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). O presidente da Fiep, Rodrigo da Rocha Loures, e o presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Humberto Barbato, participaram da reunião, que teve a presença do vice-presidente da Fiep, Hélio Bampi, e do diretor da Abinee no Paraná, Álvaro Dias Júnior.

No encontro foi apresentado o resultado de uma pesquisa realizada pela Fiep, a pedido da Abinee, sobre o perfil do setor no estado. Segundo a pesquisa, o setor eletroeletrônico do Paraná possui 668 estabelecimentos e emprega 34.120 trabalhadores. A grande maioria das empresas - 73,4% - está localizada na Região Metropolitana de Curitiba. Também é nesta região que se registra a maior participação nas vendas do setor, 82,32%.

Durante o encontro, empresários apresentaram como principais preocupações a pesada carga tributária, a legislação trabalhista e a política cambial, que favorece a entrada de produtos estrangeiros no mercado nacional.

De acordo com o diretor regional da Abinee, Álvaro Dias Júnior, a expectativa é que a partir dos dados levantados pela pesquisa pela Fiep os empresários se sensibilizem para a importância da união do setor para enfrentar as questões macroeconômicas que mais lhes afligem. "É um setor muito pulverizado, onde cada um cuida do seu próprio negócio", observa.

Para o empresário Carlos Zanellato, da empresa Enercon - Equipamentos e Sistemas, a reunião serviu, não apenas para identificar as demandas. "Ajudou as empresas a abrirem o olho e perceberem que a união é o caminho."

O presidente nacional da Abinee, Humberto Barbato, sugeriu que a Fiep encampe uma das principais demandas do setor, a atual política cambial, defendendo junto ao poder público a adoção de medidas compensatórias ao câmbio desfavorável. Segundo ele, além do Custo Brasil, o real extremamente valorizado prejudica a competitividade das empresas do setor eletroeletrônico porque muitas empresas preferem, hoje, importar o produto acabado do que produzi-lo no Brasil.

"A inflação aleija, mas o câmbio mata", afirmou Barbato citando o economista Mário Henrique Simonsen. Segundo a pesquisa o total estimado de exportações do setor entre 2009 e 2010 foi de US$ 243,5 milhões, contra US$ 1,2 bilhão das importações.

Congresso da indústria

Este foi o último dos 20 fóruns setoriais realizados pela Fiep, a partir do mês de abril. Estes encontros acontecem a cada dois anos e têm como principal função identificar, junto aos empresários de cada setor, as principais demandas e que medidas devem ser encampadas pelo Serviço Social da Indústria do Paraná (Sesi/PR), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Paraná (Senai/PR) , Instituto Euvaldo Lodi do Paraná (IEL/PR), C2i e Unindus, poder público e empresários, sindicatos e associações para eliminar esses entraves.

Os Fóruns Setoriais antecederam o Congresso Paranaense da Indústria, maior evento do setor, que ocorre nos dias 20 e 21 de junho. No Congresso, as questões identificadas durante os Fóruns Setoriais serão tratadas de maneira mais pontual.


(Fonte: CNI - 14/06/2011)

 

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE