Rio de janeiro
Agenda Inovação Junho -   Julho    -     Agosto   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
Políticas Públicas e Economia

Notícias - Políticas Públicas e Economia

Crise pode afetar comércio mundial, alerta OMC

A Organização Mundial do Comércio (OMC) faz um alerta: as turbulências no mercado financeiro e imobiliário poderão ter impacto negativo no ritmo de crescimento das exportações e da economia mundial em 2008. A entidade, que apela para a conclusão da Rodada Doha como forma de fortalecer a economia mundial, acrescenta que a onda de volatilidade está aumentando as incertezas para a economia mundial neste ano.

 

Na avaliação da OMC, se a crise imobiliária se confirmar nos Estados Unidos, os países que destinam uma importante parcela de seu comércio ao mercado americano devem ser os que mais sofrerão. Para Robert Teh, economista da OMC, existe a possibilidade de que os riscos identificados hoje no mercado financeiro contaminem o crescimento mundial nos próximos meses. "Essa é nossa grande preocupação no momento". Segundo o economista da OMC, quanto maior a relação de um país com o mercado americano, maior poderá ser o risco. "Nos últimos dez anos, o mercado americano foi muito interessante para muitos exportadores. Mas uma crise pode acabar exigindo que exportadores diversifiquem os destinos de suas vendas".

 

Para 2007, a OMC mantém a previsão de crescimento do PIB mundial em cerca de 3%. Mas não descarta queda em 2008. Não por acaso, a entidade aproveitou a publicação de ontem para insistir na necessidade de os governos entrarem em acordo para concluir a Rodada Doha. Para o diretor-geral da OMC, Pascal Lamy, a conclusão da Rodada enviaria uma mensagem de confiança a "governos, agentes econômicos e ao público". Segundo ele, um acordo ainda demonstraria o compromisso dos governos com a abertura de mercados e regras multilaterais, além de garantir que "as fundações da economia global estejam reforçadas".

Lamy aproveitou para dar sua mensagem aos governos de que o comércio sozinho não conseguirá acabar com a pobreza no mundo. "A redução da pobreza somente ocorrerá quando governos adotarem políticas domésticas adequadas em educação, questões sociais, infra-estrutura, no campo fiscal e em inovação".


 

 

(Fonte: Agência Estado - 15/08/07)

 

 

Link Relacionados

  •  Artigos - A reforma para crescer
  •  Artigos - Âncora tecnológica
  •  Artigos - Inovação tecnológica e Estado
  •  Artigos - Inovar e crescer!
  •  Notícias - Amorim vê desequilíbrios em nova proposta da OMC
  •  Notícias - Apenas 3,6% da ajuda aos países mais pobres vai para pesquisa e formação
  •  Notícias - Brasil e Argentina barram redução de tarifas industriais
  •  Notícias - Crise pode afetar comércio mundial, alerta OMC
  •  Notícias - Inovação tecnológica na prática
  •  Notícias - Interesse por subvenção a projetos de inovação surpreende governo
  •  Notícias - Ministro fala de Subvenção a Inovação
  •  Notícias - MONITOR MERCANTIL
  •  Notícias - Novartis perde a primeira batalha contra lei de patentes da Índia
  •  Notícias - Países em desenvolvimento racham após fracasso do G-4
  •  Notícias - Patente: prêmio à inteligência
  •  Notícias - Patentes pipeline e direitos adquiridos
  • Instituições Associadas

    ABIFINA
    ABIMO
    ABINEE
    ABIQUIM
    ALANAC
    FIEMG
    IPD FARMA
    SEBRAE