Rio de janeiro
Agenda Inovação Maio -   Junho    -     Julho   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
Políticas Públicas e Economia

Notícias - Políticas Públicas e Economia

Consumidores de celular querem aparelhos com inovações

Ao completar dez anos de vida, o mercado de telefonia celular começa a promover mudanças em sua comunicação e também na política de preços. O que impulsiona a movimentação das empresas é a nova configuração do mercado. Há três, quatro anos, operadoras e fabricantes ganhavam com a chegada de novos clientes ao mercado. Hoje, com 106,6 milhões de celulares instalados no país, o que cresce é o mercado de troca de aparelhos.

 

O resultado é um marketing diferente do que se fazia alguns anos atrás. "Se olharmos para as campanhas do Dia dos Pais do ano passado, veremos uma comunicação focada quase que exclusivamente em preço. Já nas campanhas deste ano, os preços estão lá, com destaque, mas dividem espaço com os recursos dos aparelhos e pacotes de serviços oferecidos", diz Rogério Dezembro, diretor de atendimento da Talent, agência que tem a

conta da Sony Ericsson.

 

"O mercado mudou muito e hoje ninguém mais oferece um celular por R$ 1. A oferta é de um celular bacana, com mais recursos e mais caro", diz Flávia Molina, diretora de marketing da Sony Ericsson. "A reposição de celulares já responde por 40% ou 50% do mercado total", diz José Roberto Campos, vice-presidente de marketing da Samsung.

 

Os fabricantes são unânimes em afirmar que a demanda hoje é por inovação e inundam o mercado com aparelhos que tocam música, tiram fotografia, funcionam como computadores e até fazem e recebem ligações.

 

(Fonte: Valor Econômico - 08/08/07)

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE