Rio de janeiro
Agenda Inovação Abril -   Maio    -     Junho   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
Patentes

Notícias

Ministério da Saúde elogia nova atitude da Merck

O secretário de ciência e tecnologia e insumos estratégicos do Ministério da Saúde, Reinaldo Guimarães, disse na segunda-feira (08/09) que está satisfeito com o fato de a Merck Sharp & Dohme (MS&D) - fabricante do Efavirenz, droga anti-Aids que teve sua patente licenciada compulsoriamente - querer voltar a negociar com o Governo. "Em 2007, a Merck se mostrou impenetrável para discutir a redução do preço que poderia criar vulnerabilidade ao programa brasileiro de Aids", relembrou.

 

O secretário refutou as críticas feitas pela empresa quanto à decisão do Governo. "O Ministério da Saúde está satisfeito tanto no suprimento como na qualidade do genérico importado da Índia a US$ 0,46 por comprimido, que é um valor abaixo do que o oferecido na ocasião pela Merck", disse. "Eles (indianos) honram o fluxo e a qualidade é atestada pela Organização Mundial de Saúde".

 

Guimarães declarou que o Governo não mudou sua posição em relação ao licenciamento compulsório, salientando que poderá aplicar a medida novamente caso seja necessária. Mesmo reconhecendo problemas para o início da fabricação local por parte dos laboratórios oficiais Farmanguinhos e Lafepe, Guimarães afirmou que o atraso é normal em qualquer processo produtivo e reafirmou a expectativa de que a droga seja produzida até o fim do ano. A MS&D sinalizou a intenção de produzir localmente a droga e que está disposta a retomar o diálogo com o Governo depois do episódio conhecido como a "quebra da patente" do Efavirenz.

 

 

(Fonte: Valor Econômico - 09/09/2008)


 

Notícias Relacionadas

Merck: licenciamento compulsório do Efavirenz é passado
Fabricante do anti-retroviral afirma que está disposta a colaborar com Governo no fornecimento do medicamento presente no coquetel de Aids, e sinaliza possível produção local


INPI nega patente ao anti-retroviral Tenofovir
Medicamento é utilizado no coquetel consumido por cerca de 32 mil pacientes com Aids no Brasil. Caso decisão se mantenha, País poderá ter uma economia de US$ 35 milhões ao ano



Outras notícias de inovação e patentes

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE