Rio de janeiro
Agenda Inovação Outubro -   Novembro    -     Dezembro Voltar 2018 -   2019 Avançar
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
Fármacos e Medicamentos

Notícias

Pesquisadores da Unicamp desenvolvem remédio que pode acabar com o câncer de bexiga

Pesquisadores da Unicamp desenvolveram um remédio que pode acabar com o câncer de bexiga Um estudo que levou 12 anos para ser concluído acaba de render os primeiros frutos: um remédio que pode se tornar um aliado em pacientes que sofrem com câncer de bexiga. A droga foi desenvolvida por pesquisadores da Unicamp e já passou por testes em animais e em seres humanos. Espera-se que o medicamento esteja . Um estudo que levou 12 anos para ser concluído acaba de render os primeiros frutos: um remédio que pode se tornar um aliado em pacientes que sofrem com câncer de bexiga. A droga foi desenvolvida por pesquisadores da Unicamp e já passou por testes em animais e em seres humanos. Espera-se que o medicamento esteja.

 

Um estudo que levou 12 anos para ser concluído acaba de render os primeiros frutos: um remédio que pode se tornar um aliado em pacientes que sofrem com câncer de bexiga.

 

A droga foi desenvolvida por pesquisadores da Unicamp e já passou por testes em animais e em seres humanos. Espera-se que o medicamento esteja disponível no mercado dentro de seis anos.

 

Menos tóxico do que os remédios habituais, ele é considerado um nanofármaco e administrado em doses menores do que os quimioterápicos. Seu funcionamento estimula a produção de proteínas de células de defesa do corpo e destrói os tumores.

 

Pacientes diagnosticados com metástase e cujas alternativas de tratamentos convencionais haviam se esgotado passaram a testar a droga há mais de um ano. O resultado foi uma diminuição de 40% a 50% no tamanho dos tumores e um aumento da expectativa de vida de três meses para mais de um ano.

 

Após os primeiros resultados, uma nova fase de experimentos foi liberada, com o medicamento sendo usado por pessoas com qualquer estágio de câncer de bexiga.

 

 

 

(Fonte: Panorama Farmacêutico - 02/10/18)

Destaques

Livro Branco da Inovação Tecnológica

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE