Rio de janeiro
Agenda Inovação Agosto -   Setembro    -     Outubro   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
Fármacos e Medicamentos

Notícias

Nova unidade da Fiocruz é inaugurada no Paraná

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, inaugurou nesta terça-feira (04/08), em Curitiba, a nova unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Planta de Insumos para Diagnósticos em Saúde. Na ocasião, foi inaugurado também o Instituto Carlos Chagas (ICC), unidade técnico-científica da Fiocruz no estado.

Participaram da inauguração o governador Roberto Requião, o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, a secretária da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Lygia Pupatto, o diretor-presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), Aldair Rizzi, e o presidente da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás), João Baccara.

Um acordo de cooperação técnica e científica será firmado entre o ministério, o governo estadual, a Fiocruz, o Tecpar, a Hemobrás, o instituto e universidades estaduais, que abrangerá áreas como biociências e biotecnologia em saúde e a abertura de cursos de pós-graduação em tecnologia específica. Segundo o diretor do Tecpar, esse processo de aceleração educacional é fundamental para a criação de novos valores e o avanço em pesquisas.

A planta de insumos, pioneira no Brasil, já recebeu investimentos da ordem de R$ 15 milhões em obras e equipamentos. Esta infraestrutura começará a ser utilizada, ainda este ano na produção dos reagentes necessários para os kits NAT (testes de ácido nucleico), utilizados para detectar AIDS e hepatite C. A nova tecnologia será empregada na triagem das bolsas de doação de sangue com a vantagem, comparado ao teste tradicional, de redução da janela imunológica - período em que já ocorreu a infecção, mas ainda não há a possibilidade da detecção do vírus no exame de sangue.

De acordo com informações do Tecpar, outros produtos já estão em análise e poderão ser produzidos pela Planta de Insumos para Diagnósticos em Saúde. O destaque fica por conta do multiteste, capaz de verificar, ao mesmo tempo, até 100 doenças em até 100 indivíduos, tendo o resultado pronto em cerca de 30 minutos. Inicialmente, o multiteste se concentrará no diagnóstico de HIV 1/2, HTLV I/II, sífilis, doença de Chagas e hepatite B - que podem ser transmitidas pelo sangue.

Estão sendo feitos também estudos para descobrir novas drogas contra a doença de Chagas. Até o fim de 2009, o Tecpar deve investir R$ 14 milhões em reestruturação tecnológica para diversificar e aprimorar a produção de vacinas e de antígenos.

 

 

Iniciativa vai fortalecer o SUS

A planta é fruto de um consórcio tecnológico que envolve duas unidades da Fiocruz - o Instituto Carlos Chagas (ICC) e o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Biomanguinhos) -, a Hemobrás e o Tecpar, com o patrocínio do Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, e do Governo do Paraná. O operador da planta será o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), uma associação civil de direito privado, de interesse comunitário, sem fins lucrativos, criado por meio de uma parceria da Fiocruz com o Governo do Paraná, por intermédio do Tecpar.

 

A planta também poderá realizar, em breve, a produção de insumos para diagnóstico molecular da influenza A (H1N1). Os pesquisadores estão validando uma tecnologia nacional para a produção dos principais insumos que compõem o kit de diagnóstico. Tais insumos, chamados primers e probes, são necessários à realização de PCR em tempo real - técnica utilizada para detectar o material genético do vírus influenza A (H1N1) nas amostras dos pacientes.

 

No momento, os pesquisadores se preparam para avaliar a sensibilidade e a especificidade dos reativos que estão em fase de testes. Se os resultados forem satisfatórios, os kits de diagnóstico fornecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) poderão ser substituídos por similares nacionais, o que significará maior autonomia para o sistema de saúde brasileiro, economia de recursos públicos e ampliação da capacidade de análise de amostras.

 

 

(Fonte: Agência Fiocruz de Notícias - 03/08/2009 e Agência Brasil - 04/08/2009)

 

 

Notícias relacionadas

 

Entrevista: Fiocruz e BNDES firmam parceria estratégica
Instituições fecharão acordo para produção de fármacos, medicamentos fitoterápicos e vacinas. Parceria visa estimular inovação em saúde e o desenvolvimento industrial do setor

 

Fiocruz e BNDES firmam aliança na área de saúde
Parceria contemplará áreas como a produção de novos fármacos e medicamentos fitoterápicos. Acordo poderá ajudar o País a fortalecer sua política de desenvolvimento em saúde

 

Cadeia Produtiva de Medicamentos sai do papel
Empresas do Complexo Industrial da Saúde debatem engenharia das PPPs, parcerias com o BNDES, importância da fabricação local, avanços do registro sanitário e concessões de patentes

 

Farmanguinhos e Cristália firmam acordo para produção de fármacos
Unidade técnico-científica da Fiocruz fecha parceria público-privada com laboratório para produção e distribuição de quatro medicamentos: Helleva, Revia, Ritonavir e Mebendazol

 

Outras notícias de inovação em fármacos

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE