Rio de janeiro
Agenda Inovação Junho -   Julho    -     Agosto   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
Fármacos e Medicamentos

Notícias

Cresce número de empresas de biotecnologia no Brasil

Levantamento feito pela Fundação Biominas, entidade privada de fomento à biotecnologia, aponta que o Brasil encerrou o ano de 2008 com 253 empresas na área de biociências. Os números mostram que o setor caminha, mesmo que de maneira lenta, para a expansão: em 2007, eram apenas 181 companhias.

"Ainda estamos longe de figurar na lista dos cinco países que mais investem nesta área. Os EUA, por exemplo, têm três mil empresas. Apesar disso, ficamos satisfeitos porque os números vieram acima das nossas expectativas", conta o presidente da fundação, Eduardo Soares. Ele acrescenta que a entidade substituiu a terminologia "biotecnologia" por "biociência" no levantamento para ficar mais alinhada com os padrões internacionais. "É mais abrangente", resume.

Em 2008, quase um terço (30,8%) das empresas nacionais de biociência estavam voltadas para atividades na área de Saúde Humana. Em seguida, figuravam os investimentos em estudos em Agricultura (18%), Insumos e Saúde Animal (ambos com 16% do total). "Esta concentração é natural, porque são áreas em que o Brasil tem se mostrado bem competitivo", acrescenta Soares.

A pesquisa mostra, ainda, que a região Sudeste abrigava 71,9% do total das empresas. Belo Horizonte era a líder individual, com 34 companhias. As cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre também estavam entre os polos mais importantes do País na área de biociência.

O retrato do setor de biotecnologia brasileiro revela que as empresas do setor são jovens, já que 67,7% foram criadas na última década. O retorno financeiro se mostrou tarefa difícil de ser atingida: 44,4% afirmaram que tiveram, em 2008, faturamento de até R$ 1 milhão. Outra fatia significante, de 17,3%, disseram nunca terem alcançado nenhum faturamento.

Quando questionadas sobre registro de patentes no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), 43,7% das empresas disseram ter depositado pelo menos um pedido junto ao órgão. As parcerias com universidades se mostraram um do alicerces para os investimentos no setor. A pesquisa mostra que 73% das companhias mantinham relações formais com estas entidades de ensino.

 

(Fonte: Agência Estado - 29/07/2009)



 

Notícias relacionadas

Roche lucra com produtos vendidos ao setor hospitalar
Farmacêutica prospera com a venda de medicamentos de alta tecnologia para o tratamento de doenças graves. Estratégia mudou depois da compra da Genentech, líder em biotecnologia

Acordos renovam vigor de laboratórios biotecnológicos
Resultados de novos testes clínicos e acordos de financiamento dão novo fôlego ao setor de biotecnologia americano, que inicia sua recuperação após o impacto da crise econômica

Zambon foca modernização e parcerias para crescer no Brasil
Empresa italiana inaugura suas novas instalações no Brasil e espera crescer 15% este ano no País. Corporação pretende ainda entrar no setor de biotecnologia por meio de parcerias

Outras notícias de inovação em fármacos

 

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE